Viajar não é desperdício, é investimento

Já tiveste na posição em teres alguém a questionar-te “Ah, vais gastar tanto dinheiro nessa viagem, para quê?” Se a tua resposta foi SIM, não desanimes – não estás sozinha/o. 

Infelizmente, há ainda muita gente que pensa que viajar é, realmente, um desperdício. Mas eu não o vejo assim, e espero que tu também não. Viajar é um investimento na nossa educação, no nosso crescimento enquanto cidadãos deste mundo, na nossa realidade. Viajar permite-nos expandir horizontes, olhar para as coisas de outra perspectiva. Viajar tira-nos da nossa bolha de segurança, torna-nos criativos, desenrascados, obriga-nos a sair da nossa zona de conforto.

E porque é que eu penso que viajar é um investimento? Vou ser muito sincera: o dinheiro vai e vem, a vida, é passageira, mas as memórias, essas, são eternas. Tu lembras-te do dinheiro que gastaste naquela mudança de guarda-roupa que fizeste há 5 anos? Ou do telemóvel que tinhas em perfeitamente bom estado mas que optaste por comprar o outro topo de gama? Provavelmente, para os gastos mais supérfluos, como os anteriores, não te vais lembrar nem quando ou quanto gastaste. No entanto, é bem mais provável que te lembres dos investimentos que fizeste ao longo da vida, como comprar uma casa, pagar a faculdade ou um curso que tinhas vontade de fazer e, claro, das viagens que fizeste. Verdade ou mentira?

Nestas questões do dinheiro, é claro que cada um ganha o seu e gasta como quer. Mas tudo é uma questão de perspectiva e do valor que associamos a cada coisa. Qual é o valor emocional, por exemplo, que uma viagem te traz em comparação com comprar uma carteira que está na moda? Ambos são consumos, é um facto, mas qual deles te vai agregar mais valor pessoal? 

Deixo-te aqui este desabafo: uma viagem de ida e volta para uma cidade europeia pode custar-te o mesmo que um jantar fora. E com esta, me despeço .

Gostava de conhecer os teus pensamentos e desabafos. Deixa aqui o teu comentário.



Deixe uma resposta